Votre compte

Dano da Perda de Chance


Pelo que não se fez ou se fez mal com perda de oportunidade duma vantagem
DOUTRINA E JURISPRUDÊNCIA

Nos casos tipo, da colação do “dano de perda de oportunidade”, se é certo que, muitas vezes, não se pode assumir “com certeza” que a oportunidade se teria verificado, se não fosse a conduta ilícita do agente, também não é menos verdade que também nesses casos não se pode assumir “com certeza” o contrário, ou seja que tal oportunidade não viria a ocorrer.

Mas uma coisa é “certa”, é que a oportunidade se perdeu.

E, assim, é perfeitamente assumível esse dano (de perda de oportunidade), como autónomo, ocasionado e imputável à conduta ilícita do agente.

Outra questão será já avaliar se desse “dano de ilicitude”, resultou, ou não, uma “repercussão negativa”, na esfera jurídica da vítima e o seu quantum a indemnizar pelo agente.

Estrutura da obra
- TÍTULO I - Dano de “Perda de Chance” - x - Ascensão Crescente e Ubiquidade
- TÍTULO II - Duas subespécies de dano de “perda de chance”
- TÍTULO III - A Capacidade expansiva (horizontal e vertical) do dano de “perda de Chance” – A sua ubiquidade
- TÍTULO IV - Dois tipos de dano
- TÍTULO V - Cálculo do valor (monetário) do “Dano da repercussão negativa”
- TÍTULO VI - Densificação normativa do dano de “perda de chance”
- TÍTULO VII - Responsabilidade civil no caso específico do mandato forense
- TÍTULO VIII - Responsabilidade Civil no caso específico de prestação de cuidados de saúde
- TÍTULO IX - Repercussões, no âmbito do processo civil, da autonomização do dano de “perda de chance”

Publico alvo:
- Advogados, por deficiência de defesa dos constituintes
- Médicos e Enfermeiros, por deficiência de tratamento dos doentes
- Hospitais
- Funcionários Públicos (e Administração) se aqueles são vitimas de sanções disciplinares, que os afectem na progressão da carreira.
- Empresas Concursantes, se ilegalmente excluídas ou “não-vencedoras”, de concursos públicos.
- Em geral todo o cidadão que é objecto duma lesão ilícita dum direito seu (propriedade, ou de crédito), e, que, com tal lesão perde a probabilidade duma vantagem.

Ce livre est classé dans les catégories :

18,90 €
?
Vérifier la compatibilité de vos supports

Vous aimerez aussi

Fiche détaillée de “Dano da Perda de Chance”

Fiche technique

Résumé

Pelo que não se fez ou se fez mal com perda de oportunidade duma vantagem
DOUTRINA E JURISPRUDÊNCIA

Nos casos tipo, da colação do “dano de perda de oportunidade”, se é certo que, muitas vezes, não se pode assumir “com certeza” que a oportunidade se teria verificado, se não fosse a conduta ilícita do agente, também não é menos verdade que também nesses casos não se pode assumir “com certeza” o contrário, ou seja que tal oportunidade não viria a ocorrer.

Mas uma coisa é “certa”, é que a oportunidade se perdeu.

E, assim, é perfeitamente assumível esse dano (de perda de oportunidade), como autónomo, ocasionado e imputável à conduta ilícita do agente.

Outra questão será já avaliar se desse “dano de ilicitude”, resultou, ou não, uma “repercussão negativa”, na esfera jurídica da vítima e o seu quantum a indemnizar pelo agente.

Estrutura da obra
- TÍTULO I - Dano de “Perda de Chance” - x - Ascensão Crescente e Ubiquidade
- TÍTULO II - Duas subespécies de dano de “perda de chance”
- TÍTULO III - A Capacidade expansiva (horizontal e vertical) do dano de “perda de Chance” – A sua ubiquidade
- TÍTULO IV - Dois tipos de dano
- TÍTULO V - Cálculo do valor (monetário) do “Dano da repercussão negativa”
- TÍTULO VI - Densificação normativa do dano de “perda de chance”
- TÍTULO VII - Responsabilidade civil no caso específico do mandato forense
- TÍTULO VIII - Responsabilidade Civil no caso específico de prestação de cuidados de saúde
- TÍTULO IX - Repercussões, no âmbito do processo civil, da autonomização do dano de “perda de chance”

Publico alvo:
- Advogados, por deficiência de defesa dos constituintes
- Médicos e Enfermeiros, por deficiência de tratamento dos doentes
- Hospitais
- Funcionários Públicos (e Administração) se aqueles são vitimas de sanções disciplinares, que os afectem na progressão da carreira.
- Empresas Concursantes, se ilegalmente excluídas ou “não-vencedoras”, de concursos públicos.
- Em geral todo o cidadão que é objecto duma lesão ilícita dum direito seu (propriedade, ou de crédito), e, que, com tal lesão perde a probabilidade duma vantagem.

Biographie de Durval Ferreira

Avis des internautes


Aucun commentaire n'a été posté sur ce livre.

Ajouter votre commentaire